Handebol

Referência na formação

Depois de sete participações na Liga Nacional Feminina, entre 2009 e 2015, o handebol caxiense se tornou uma das referências no país. Especialmente pelo fato de, sem contar com grandes recursos financeiros, ter proporcionado a revelação de muitas atletas, especialmente da categoria juvenil para a adulta. Inclusive oito jovens que atuaram na cidade acabaram se transferindo para a Europa.

O trabalho comunitário é uma das marcas do projeto. O próprio nome da equipe, Associação dos Pais e Amigos do Handebol (APAHand), deixa isso claro. Além disso, a prefeitura apoia o trabalho com financiamento. Este anos, após um ano afastada da principal competição do país, a equipe acertou o retorno. Para isso, contará com o apoio de um empresa de Farroupilha e realizará alguns jogos nessa cidade.

Os treinos são realizados no Ginásio Poliesportivo da Universidade de Caxias do Sul (UCS), localizado no Campus-Sede. Esse continuará sendo o local da maioria das partidas, a exemplo do que ocorria nas temporadas anteriores. A categoria de base, também com treinamentos na Universidade, conta com cerca de 100 atletas.
Na temporada 2016, com um grupo de atletas exclusivamente caxiense, a equipe acabou como vice-campeã estadual, depois de uma sequência de títulos. Diferentemente de outros anos, não houve ajuda de custo para o grupo.

Entre os homens

A APAHand também abre espaço para equipes masculinas que participam de competições estaduais. No caso da adulta, os próprios atletas acabam bancando as despesas. Nesse naipe, o Recreio da Juventude apresenta o trabalho mais forte. O clube tem equipes em todas as categorias do Estadual e disputa torneios nacionais, ostentando vários títulos. Os últimos foram estaduais, com os times adulto e juvenil, que tiveram as finais sediadas pelo clube em dezembro. 

O pivô Alexandro Pozzer, o Tchê, titular da seleção brasileira de handebol que chegou nas oitavas de final da Olimpíada do Rio 2016, é cria do clube. Foi no RJ que ele deu os primeiros passos, antes de defender outros times do país e se transferir para a Europa.