Canoagem

Lazer e competição na represa

A represa São Miguel, que integra o Complexo Dal Bó, uma das fontes do abastecimento de água de Caxias do Sul, é um belo cenário para a prática da canoagem. Diariamente, centenas de pessoas, de várias idades, aproveitam o local para lazer e treinamentos. O acesso é o mesmo do Complexo Esportivo do Sesi, no bairro Fátima.

A canoagem chegou com força na cidade em 2000, quando o ex-atleta olímpico Alvaro Koslowski montou um projeto para o desenvolvimento do esporte. Voltado apenas para os jovens no início, o trabalho ganhou corpo e, entre 2004 e 2014, serviu de base de treinos para as seleções brasileiras masculina e feminina de canoagem velocidade. A Olimpíada do Rio 2016 teve dois integrantes da equipe nacional que treinaram em Caxias: Edson da Silva (Edinho) e Gilvan Ribeiro.

Atualmente, a cidade tem uma equipe de competição com 45 integrantes, com apoio da prefeitura, Fiesporte e Universidade de Caxias do Sul. Nesse grupo, algumas vagas são para pessoas com deficiência, a maioria amputadas e cadeirantes. O Remadas Solidárias, via Lei de Incentivo, conta com cerca de 300 alunos de instituições de ensino. Esse projeto tem a proposta de educação pelo esporte, além de incentivar o gosto pela prática e possibilitar a revelação de talentos.

Há ainda o Projeto de Canoagem para Idosos, com aproximadamente 70 pessoas, com apoio do Fundo Municipal do Idoso, Conselho Municipal do Idoso e Fundação de Assistência Social (FAS). Esse tem objetivos recreativos, de buscar momentos de boa convivência e exercícios para os praticantes. A coordenação do Remadas Solidárias é de Alvaro Koslowski, tendo a supervisão de Jonatan Maia, ex-atleta da equipe e que também é presidente da Federação Gaúcha de Canoagem (FGC).